Riscos de Interações Medicamentosas Presentes nos Receituários de Pacientes Hipertensos e Diabéticos: Uma Revisão Bibliográfica

Vilmar Luz, Matheus Santos Marques, Naila Neves de Jesus

Resumo


As doenças crônicas não-transmissíveis (DCNT) com o passar do tempo passaram a assumir maior incidência em detrimento das doenças transmissíveis. Dentre as DCNT mais prevalentes destacam-se a hipertensão e o diabetes mellitus. Quanto o uso de medicamentos há uma série de questões a serem avaliadas, e a possível ocorrência de interações medicamentosas é uma delas e deve ser levada em questão, pois a interação medicamentosa indesejável prejudica a adesão e o sucesso da terapia. O presente trabalho objetivou analisar a literatura bibliográfica existente com o intuito de investigar as potenciais interações medicamentosas existentes entre os medicamentos utilizados o tratamento do diabetes mellitus concomitante ao tratamento da hipertensão. Foram analisadas e escolhidas 38 literaturas entre livros, artigos científicos, guidelines, diretrizes que foram utilizadas para compor esse artigo de revisão integrativa.

 

 


Palavras-chave


diabetes mellitus, hipertensão arterial, interações medicamentosas.

Texto completo:

PDF

Referências


AMERICAN COLLEGE OF CARDIOLOGY. 2017 Guideline for the prevention, detection, evaluation and management of high blood pressure in adults. N1 ed. 28 p. 2017.

BARROS, T.S. Análise das interações medicamentosas entre anti-hipertensivos, hipoglicemiantes e anti-hiperglicemiantes em diabéticos no Hospital Universitário de Brasília. 56 fl. Monografia – Curso de Farmácia, UNB, 2016.

COSTA, J.R.G et al. Educação em saúde sobre atenção alimentar: uma estratégia de intervenção em enfermagem aos portadores de diabetes mellitus. Mostra Interdisciplinar do curso de Enfermagem. v.2, n.1, 2016.

DIAS, O.V et al. Diabetes mellitus em Montes Claros: inquérito de prevalência autorreferida. Revista Brasileira em Promoção da Saúde. v.29, n.3, p.406-413, 2016;

DIPIRO, J.T. et al. Pharmacotherapy: a pathophysiologic approach. USA: The McGraw-Hill. 7.ed. 2008. 2597 p.

DUNCAN, B.B et al. Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil; prioridade para enfrentamento e investigação. Rev Saúde Pública, v 26, p 126-134, 2012.

FAROOQUI, R. et al. Potential drug-drug interactions among patient’s prescriptions collected from Medicine out-patient setting. Pak j Med Sci. v.34, n.1, p.144-148, 2018.

FERREIRA, R.C. et al. Perfil clínico-epidemiológico dos portadores de hipertensão atendidos na atenção básica do estado de Alagoas. Medicina (Ribeirão Preto, Online). v.50, n.6, p.349-357, 2017.

FREITAS, L.R.S; GARCIA, L.P. Evolução da prevalência do diabetes associado à hipertensão arterial no Brasil: análise da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, 1998, 2003, 2008. Epidemiol. Serv. Saúde, v. 21, n. 1, p. 7-19, 2012.

GUIDONI, C. M. et al. Assistência ao Diabetes no Sistema Único de Saúde: Análise do Modelo Atual. Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences. v.45 n.1 p. 37-48, 2009

GUIMARÃES, V.G et al. Perfil Farmacoterapêutico de um grupo de idosos assistidos por um programa de Atenção Farmacêutica na Farmácia Popular do Brasil no município de Aracaju – SE. Rev Ciênc Farm Básica Apl., v. 33, n.2, 307-312 p, 2012.

INTERNATIONAL DIABETES FOUNDATION. IDF Diabetes Atlas. 8 ed. 2017. 150p.

JESUS, A.P.A. et al. Possíveis interações medicamentosas envolvendo o usp de agentes hipoglicemiantes durante a hospitalização de idosos no sistema único de saúde da região do médio Araguaia. Revista Panorâmica On-line. v.16, p.01-18, 2014;

KATZUNG, B.G; MASTERS, S.B; TREVOR, A.J. Farmacologia Básica e Clínica. Porto Alegre: ARTMED.12 ed. 2017. 1244p.

KHANGURA, D.S. et al. Hypertension in Diabetes. MDText.com. p.8, 2018.

KOTHARI, N; GANGULY, B. Potentional drug-drug interactions among medications prescribed to hypertensive patients. Journal of Clinical and diagnostic research. v. 8, n.11, p. 1-4, 2014.

LIMA, R. F. et al. Interações medicamentosas potenciais em diabéticos tipo 22 participantes de um programa de educação em saúde. Infarma, v. 27, n. 3, p. 160-167, 2015.

LINS, G.A.P. Interações medicamentosas no tratamento de pacientes hipertensos em uma unidade de saúde. 33 fl. Monografia – Departamento de Farmácia, UEPB, 2013.

MACEDO, J.L. et al. Epidemiological profile of arterial hypertension in a maranhense municipal. ReonFacema. v.3, n.4, p.693-698, 2017.

MAIDEEN, N.M.P; JUMALE, A; BALASUBRAMANIAM, R. Drug interactions of metformin involving drug transporter proteins. Adv Pharm Bull. v.7, n.4, p.501-505, 2017.

MARRERO, M.N. Aderência do tratamento em pacientes diabéticos: uma proposta de ação. 15fl. Trabalho de Conclusão de Curso. Especialização em Saúde da Família, UERJ, 2015.

MARTELLI, A; LONGO, M.A; SERIANI, C; Aspectos clínicos e mecanismo de ação das principais classes farmacológicas usadas no tratamento da hipertensão arterial sistêmica. Estud Biol. v.30, n.70, p.149-156, 2008.

MASAHIKO, G. Risk of hypoglycemia after concomitant use of antidiabetic, antihypertensive, and antihyperlipidemic medications: a database study. The Journal of Clinical Pharmacology. v.0, n.0, p. 1-8, 2018.

MELGAÇO, T. B. et al. Polifarmácias e ocorrências de possíveis interações medicamentosas. Rev. Para. Med., v. 25, n. 1, 2011.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Curso: Ações de vigilância e prevenção de doenças crônicas não transmissíveis. Acesso em:10/10/2017 Disponível em: < https://moodle2.ufma.unasus.gov.br/#/index>

MINISTÉRIO DA SAÚDE. VIGITEL BRASIL 2016. Disponível em < http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/abril/17/Vigitel.pdf> Acesso em: 12/05/2018.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Pesquisa Nacional de saúde. 2013 Disponível em < https://www.pns.icict.fiocruz.br/index.php?pag=resultados> Acesso em: 12/05/2018.

MORENO, A.H et al. Atenção farmacêutica na prevenção de interações medicamentosas em hipertensos. Ver Inst Ciênc Saúde, v.25, n.4, p.373-377, 2007.

OIGMAN, W. Sinais e sintomas em hipertensão arterial. JBM, v.102, n.5, p. 13-18, 2014.

OLIVEIRA, V.S. et al. Análise dos fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis: estudo com colaboradores de uma instituição privada. Santa Maria. v.43, n.1, p. 214-224, 2017.

REMPEL, C et al. Análise da medicação utilizada por diabéticos e hipertensos. Caderno pedagógico, v. 12, n. 1, p. 241-252, 2015.

SEHN, R et al. Interações medicamentosas potenciais em prescrições de pacientes hospitalizados. Infarma, v.15, n. 9-10, p. 77-81, 2003.

SILVA, K.O et al. Avaliação da compreensão dos pacientes portadores do diabetes mellitus tipo II quanto ao tratamento farmacológico e não farmacológico. Rev. Saúde. Com, v.11, n.4, p.382-396, 2015.

SILVEIRO, S.P; SATLER, F. Rotinas em endocrinologia. Porto Alegre: Artmed. 1 ed. 2015. 464 p.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Rio de Janeiro: Arquivos Brasileiros de Cardiologia. v. 107, n. 3, 103 p., 2016.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2017-2018. São Paulo: Editora Clannad. 2017. 383p.

SCHIMIDT, M.I et al. Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: carga e desafios atuais. The Lancet: Série Saude no Brasil, 14 p., 2011.

UNESP. Tipos de revisões de literatura. 2015. Disponível em: < http://www.fca.unesp.br/Home/Biblioteca/tipos-de-evisao-de-literatura.pdf> Acesso em: 16/05/2018

WANG, L.P. et al. Combination Therapy of Nifedipine and Sulphonylureas Exhibits a Mutual Antagonistic Effect on the Endothelial Cell Dysfunction Induced by Hyperglycemia Linked to Vascular Disease, 2016. Cell Physiol Biochem. 2016; 38(6):2337-47.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v12i40.1160

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: