Representações Sociais do Parto para Mulheres que foram Parturientes

Camila Maffioleti Cavaler, Amanda Castro, Raissa Cardoso Figueiredo, Tatiane Neves Araújo

Resumo


A presente pesquisa objetivou identificar as representações sociais do parto para mulheres que já foram parturientes. Para isso foi realizada pesquisa qualitativa associada a entrevistas episódicas com cinco mulheres da região de Criciúma, Santa Catarina. Dentre os resultados encontrados é possível destacar que as representações sociais do parto parecem permeadas pela experiência da mulher em situação de parto, abarcando igualmente o conhecimento partilhado pela experiência de outras mulheres. O parto normal foi caracterizado de um lado pela dor e por outro pela atividade da mulher no processo. A cesariana foi descrita pela cicatriz de um lado e do outro lado pela necessidade diante de situações de risco. Por fim, ambos os partos foram caracterizados pela dicotomia facilidade e dificuldade.

 


Palavras-chave


Representações sociais; Parto normal; Cesariana.

Texto completo:

PDF

Referências


BAUER, M. W.; GASKELL, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. Petrópolis: Vozes, 2002.

BRENES, A. C. História da parturização no Brasil, século XIX. Cadernos de Saúde Pública, v. 7, n. 2, p. 135-149, 1991.

CASTRO, J. C. D.; CLAPIS, M. J. Parto humanizado na percepção das enfermeiras obstétricas envolvidas com a assistência ao parto. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 13, n. 06, p. 960-967, 2005.

COPELLI, F. H. S. et al. Fatores determinantes para a preferência da mulher pela cesariana. Texto Contexto Enfermagem, v. 24, n. 2, p. 336-343, 2015.

DIAS, M. A. B. Humanização da assistência ao parto: conceitos, lógicas e práticas no cotidiano de uma maternidade pública. Instituto Fernandes Figueira (Tese de doutorado), Rio de Janeiro, 2006.

DOISE, W. Atitudes e representações sociais. In: JODELET, D. (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: Eduerj, 2001. p. 187-203.

FLICK, U. Introducción a la investigación cualitativa. Madrid: Morata, 2004.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional de Saúde. 2013. Disponível em: . Acesso em: 04 set. 2017.

JODELET, D. Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, D. (Ed.). As representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001. p. 17-44.

______. Loucuras e representações sociais. Petrópolis: Vozes, 2005. p. 13-24.

MIRANDA, D. B. D. et al. Parto normal e cesária: representações de mulheres que vivenciaram as duas experiências. Revista eletrônica de enfermagem, v. 10, n. 2, p. 337-346, 2008.

MOSCOVICI, S. A psicanálise, sua imagem e seu público. Petrópolis: Vozes, 2012.

OLIVEIRA, S. M. J. V. et al. Tipo de parto: expectativas das mulheres. Revista Latino Americana de Enfermagem, v. 10, n. 5, p. 667-674, 2002.

OLIVEIRA, Z.; MADEIRA, A. Vivenciando o parto humanizado: um estudo fenomenológico sob a ótica de adolescentes. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 36, n. 2, p. 133-140, 2002.

OMS. Organização Mundial da Saúde. Declaração da OMS sobre Taxas de Cesáreas. 2015. Disponível em: . Acesso em: 23 ago. 2017.

PALMONARI, A.; CERRATO, J. Representações sociais e psicologia social. In: ALMEIDA, A. M. O.; SANTOS, M. F. S.; TRINDADE, Z. A. (Orgs.). Teoria das Representações Sociais: 50 anos. Brasília: Technopolitik, 2011. p. 305-334.

RODRIGUES, J. et al. Cesariana no Brasil: uma análise epidemiológica. Revista Multitexto, v. 4, n. 1, 2016.

TEIXEIRA, R. L. M. Indução do trabalho de parto: métodos farmacológicos. Faculdade de Medicina Universidade do Porto – FMUP (Dissertação de Mestrado), Porto, Portugal, 2010.

VALA, J. As representações sociais no quadro dos paradigmas e metáforas da psicologia social. Análise Social, v. 28, n. 123/124, p. 887-919, 1993.

______. Representações sociais e psicologia social do conhecimento quotidiano. In: VALA, J.; MONTEIRO, M. B. (Orgs.). Psicologia Social. Lisboa: Fundação Calouste

Gulbenkian, 2006. p. 457-502.

VELHO, M. B.; DOS SANTOS, E. K. A.; COLLAÇO, V. S. Parto normal e cesárea: representações sociais de mulheres que os vivenciaram. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 67, n. 2, p. 282-289, 2014.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v12i41.1158

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: