Accountability no Brasil: Um Estudo Comparativo com Dinamarca e México

Renan de Moraes Peres Peres, Cinthia Sayuri de Morais Hirata Bedor, Daniel Muniz Rocha do Nascimento, Laianne Macedo Diaz Jopia

Resumo


A accountability no Brasil é uma área nova e em desenvolvimento. A palavra ainda não possui uma tradução correspondente na língua portuguesa e seu conceito ainda está em construção na cultura política nacional. O objetivo desse artigo é descrever a situação da accountability no Brasil, na Dinamarca e no México para traçar um comparativo entre os dois países com o cenário nacional. Foi realizado através da consulta de sites de órgãos internacionais relacionados ao mapeamento de accountability, além de artigos científicos. O Índice de Percepção de Corrupção do Transparency International traz um panorama pessimista para o país. Em contraposição, a Dinamarca vem se mantendo no topo dessa lista, enquanto que outros países com democracias em desenvolvimento parecem apresentar problemas semelhantes ao do Brasil, como é o caso do México. Todos os três países possuem várias alternativas de controle, porém o funcionamento desses mecanismos na Dinamarca está bem à frente das realidades do Brasil e do México. Apontando que, além de mecanismos de accountability bem desenvolvidos, elementos culturais merecem destaque no desempenho de um país no combate à corrupção e no desenvolvimento de um governo transparente.

Palavras-chave


Accountability; Transparência; Corrupção

Texto completo:

PDF

Referências


ABRUCIO, Fernando Luiz; LOUREIRO, Maria Rita. Finanças públicas, democracia e accountability. In: ARVATE, Paulo; BIDERMAN, Ciro (Org.). Economia do setor público no Brasil. Rio de Janeiro: Campus/Elsevier, 2005.

ACKERMAN, John M. Mexico's Freedom of Information Law in International Perspective. In: FOX, J; HAIGHT, L; HOFBAUER, H; SÁNCHEZ, T. (Eds.). Mexico's Right-t- Know Reforms: Civil Society Perspectives. Mexico - DF: FUNDAR/Woodrow Wilson Center International Center for Scholars, 2007.

AKUTSU, Luiz; PINHO, José Antonio Gomes de. Sociedade da informação, accountability e democracia delegativa: investigação em portais de governo no Brasil. Revista de Administração Pública. Rio de Janeiro, Set./Out. 2002

ANGÉLICO, Fabiano. Lei de acesso à informação pública e seus possíveis desdobramentos para a accountability democrática no Brasil. 2012. Tese de Doutorado.

ARATO, A. Representação, soberania popular e accountability. Lua Nova, São Paulo, n. 55-56, p. 85-103, 2002.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil 1988. Casa Civil. Brasília, DF:Senado, 05 out. 1988. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 20 jul. 2017.

BOOKMAN, Zachary; GUERRERO AMPARÁN, Juan-Pablo. Two Steps Forward, One Step Back: Assessing the Implementation of Mexico’s Freedom of Information Act. Mexican Law Review, v. 1, n. 2, jan./jun. 2009.

CAMPOS, Anna Maria. Accountability: quando poderemos traduzi-la para o português? Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, fev./abr. 1990.

DAGNINO, Evelina. Sociedade civil e espaços públicos no Brasil. São Paulo: Paz e

Terra, 2002.

DINAMARCA. Governo e política. Disponível em: Acesso em 19 jul. 2017.

EUROPEAN PUBLIC ACCOUNTABILITY MECHANISMS. Denmark Public Accountability Index. Disponível em: Acesso em: 20 jul. 2017.

FILGUEIRAS, Fernando; QUEIROZ, Lúcia. Governança de sistemas de avaliação em perspectiva comparada. 2016.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4a Ed. São Paulo : Atlas, 2002.

GOHN, Maria da Glória. Conselhos Gestores e Participação Sociopolítica. Cortez Editora, São Paulo, 2001.

GOMES, Eduardo Granha Magalhães. Conselhos Gestores de Políticas Públicas: Democracia, Controle Social e Instituições. São Paulo: EAESP/FGV, 2003, 110 p.

GOMES, José Mauro (1999). A Definição do Gasto Público: Aspectos Institucionais e a Disputa Política. Dissertação de mestrado apresentada ao Curso de Pós-Graduação em Administração Pública e Governo da EAESP, Fundação Getulio Vargas, São Paulo.

LAGUNES, Paul. Irregular Transparency? An Experiment Involving Mexico's Freedom of Information Law. 2 maio, 2009. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2017.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andradi. Fundamentos de metodologia científica. 5a Ed. São Paulo : Atlas, 2003.

LIMA FILHO, Raimundo Nonato; ET AL. Accountability e governo eletrônico: uma análise sobre a participação popular. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração. Rio de Janeiro. v. 5 n. 2 mai./ago. 2011 p 17-32

MATTEI, Rejane Esther Vieira. Transparência governamental e accountability na administração pública: análise sobre as contas públicas do ministério público de Santa Catarina (MPSC). Revista Eletrônica Direito e Política, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciência Jurídica da UNIVALI, Itajaí, v.7, n.3, 2012.

MICHAELIS On line. Disponível em: Acesso em: 20 de jan. 2017

MICHENER, Greg. Conceptualizing the Quality of Transparency. In: I CONFERÊNCIA GLOBAL SOBRE TRANSPARÊNCIA, Rutgers University, Newark,19-20 maio, 2011.

MOTA, Ana Carolina Yoshida Hirano de Andrade. Accountability no Brasil: os cidadãos e seus meios institucionais de controle dos representantes. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2006. (Tese de doutorado).

O 'DONNELL, Guillermo. Accountability horizontal e novas poliarquias. Lua Nova, 1998, n.44, pp.27-54.

OECD Income Inequality. Disponível em: Acesso em: 22 jul. 2017.

OSORIO, Javier. Why Politicians Choose Transparency? Explaining Local Laws of Information Access in Mexico. In: XXVIII INTERNATIONAL CONGRESS OF THE LATIN AMERICAN STUDIES ASSOCIATION, 11-14 jun. 2009, Rio de Janeiro.

PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO. Ranking IDH Global 2014. Disponível em: Acesso em 21 jul. 2017.

PEREZ, Marcos Augusto A administração publica democrática: institutos de participação popular na administração pública, Belo Horizonte: Fórum, 2004, p. 142.

PINHO, J. A. G.; SACRAMENTO, A. R. S. Accountability: já podemos traduzi-la para o português? Revista de Administração Pública, FGV, Rio de Janeiro, v. 43, n. 6, p. 1343-1368, nov./dez. 2009.

RAUPP, Fabiano Maury; PINHO, José Antonio Gomes de. Construindo a accountability em portais eletrônicos de câmaras municipais: um estudo de caso em Santa Catarina. CADERNOS EBAPE. BR, v. 9, nº 1, artigo 7, Rio de Janeiro, Mar. 2011 p.116 – 138

____________________________Accountability em câmaras municipais: uma investigação em portais eletrônicos. R.Adm., São Paulo, v.48, n.4, p.770-782, out./nov./dez. 2013

ROCHA, Arlindo Carvalho. Accountability na Administração Pública: a Atuação dos Tribunais de Contas.SãoPaulo:Anais do XXXIII EnANPAD, set.2009.

_____________________________Accountability na Administração Pública: Modelos Teóricos e Abordagens. Contabilidade, Gestão e Governança - Brasília · v. 14 · n. 2 · p. 82 - 97 · mai/ago 2011

ROTHSTEIN, Bo. The quality of government: Corruption, social trust, and inequality in international perspective. University of Chicago Press, 2011.

SACRAMENTO, Ana Rita Silva. Contribuições da Lei de Responsabilidade Fiscal para o avanço da Accountability no Brasil. Cadernos Gestão Pública e Cidadania, v. 10, n. 47 - jul/dezembro 2005

SACRAMENTO, A. R. S.; PINHO, J. A. G. Corrupção e Accountability no Brasil: Um Olhar A Partir de Organizações da Sociedade Civil. In: ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E GOVERNANÇA DA ANPAD, 2012, Rio de Janeiro, Anpad, 2012.

SERRA, R. C. C. CARNEIRO, R. As Interfaces Entre o Controle Social e os Controles Externo e Interno na Administração Pública Brasileira. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPAD, 2011, Rio de Janeiro. Anais...Rio de Janeiro: Anpad, 2011.

SPECK, Bruno (2000). Inovação e Rotina no Tribunal de Contas da União. Fundação Konrad Adenauer. São Paulo.

SUSTAINABLE GOVERNANCE INDICATORS - SGI. Disponível em < http://www.sgi-network.org/2016/Mexico/>. Acesso em: 20 jul. 2017.

TRANSPARENCY INTERNATIONAL, Corruption Perception Index. Disponível em < https://www.transparency.org/news/feature/corruption_perceptions_index_2016/>. Acesso em: 18 jul. 2017.

WAMPLER, B; AVRITZER, L. Participatory publics: civil society and new institutions. Comparative Politics, New York, v. 1, 2004, p. 1.

WORLDBANK. Worldwide Governance Indicators. Disponível em < http://info.worldbank.org/governance/wgi/#reports/>. Acesso em: 19 jul. 2017.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v12i40.1111

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: