Associação Entre o Nível de Atividade Física e o Desempenho Cognitivo em Crianças

José de Caldas Simões Neto, Gislene Farias de Oliveira, Ariza Maria Rocha, Raimundo Edilberto Moreira Lopes

Resumo


O presente trabalho tem como proposta avaliar a relação do nível de atividade física sobre o desempenho cognitivo em crianças. A base deste estudo é descritiva, experimental de campo sob uma perspectiva quantitativa. A população do estudo foi composta por estudantes do 3º ano do ensino fundamental em uma escola do município de Juazeiro do Norte-CE, e amostra por 96 escolares, divididos em dois grupos, Grupo A controle e Grupo B experimental. Foram realizados o teste de trilha e o questionário internacional de atividade física para crianças e adolescentes, bem como um programa de atividade física com duração de 12 semanas, sendo uma aula por semana com duração de 50’ minutos com os estudantes do Grupo B. Os resultados para o nível de atividade física dos escolares no Grupo A, 22,73% foram classificados como Ativos, 68,18% Inadequadamente Ativos e 9,09% Inativos, para o Grupo B, 19,23% são Ativos, 69,23% Inadequadamente Ativos e 11,54% Inativos. Em ambas as partes do TMT e ambos os grupos, os sujeitos do sexo masculinos obtiveram média de tempo de conclusão dos testes maior em relação ao sexo feminino. Para analise entre os grupos podemos perceber que no TMT-A a média geral do GA em relação ao tempo de execução do teste foi de 91,69 segundos e o GB de 90,36 segundos; no TMT-B o grupo GA obteve média geral de 217,58 segundos e o GB de 208,50 segundos, não encontrando significância entre os grupos, onde no TMT-A com p=0,93 e TMT-B com p=0,74. Em relação a erro cometido durante o teste no TMT-A a média geral do GA foi de 2,12 e o GB de 2,68 erros e no TMT-B a média geral de erro do GA foi de 3,77 e GB de 4,36 erros. Também não foram encontrados valores de significância para essa variável onde p=0,42 no TMT-A e p=0,43 no TMT-B. Após análise dos dados pode-se perceber que faz-se necessário que além das práticas de atividade física no ambiente escolar, as crianças devem participar de outras atividades físicas em seus momentos de lazer para que tenham um desenvolvimento cognitivo melhorado, como também que seja realizado estimulado externo no convívio familiar e social da criança.

 

 


Palavras-chave


Atividade física. Cognição. Crianças

Texto completo:

PDF

Referências


ABERG, M.; PEDERSEN, N.; TORÉN, K.; SVARTENGREN, M.; BÄCKSTRAND, B.; JOHNSSON, T.; COOPER-KUHN, C.; ABERG, D.; NILSSON, M.; KUHN, G. H. Cardiovascular fitness is associated with cognition in young adulthood. Proceedings of the National Academy of Sciences, v. 106, n. 49, p. 20906-20911, 2009.

ALVES. F. Psicomotricidade: corpo, ação e emoção. Ed. Walk, Rio de Janeiro, 2012.

ANTUNES, H. K. M.; SANTOS, R.F.; HEREDIA, R. A. G.; BUENO, O.F.A; MELLO, M.T. Alterações cognitivas em idosas decorrentes do exercício físico sistematizado. Revista da Sobama, v. 6, n. 1, p. 27-33, 2001.

ANTUNES, H. K. M.; SANTOS, R.F.; CASSILHAS, R.; SANTOS, R.V.T.; BUENO, O.F.A.; MELLO, M.T. Exercício físico e função cognitiva: uma revisão. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 12, n. 2, p. 108-114, 2006.

BANGSBO, J.; KRUSTRUP, P.; DUDA, J.; HILLMAN, C.; ANDERSEN, L.B; WEISS, M.; WILLIAMS, C.; LINTUNEN, T.; GREEN, K.; HANSEN, P. R.; NAYLOR, P.J.; ERICSSON, I.; NIELSEN, G.; FROBERG, K.; BUGGE, A.; JENSEN, J.L.; SCHIPPERIJN, J.; DAGKAS, S.; AGERGAARD, S.; SEELEN, J.V; ØSTERGAARD, C.; SKOVGAARD, T.; BUSCH, H.; ELBE, A.M. The Copenhagen Consensus Conference 2016: children, youth, and physical activity in schools and during leisure time. British Journal of Sports Medicine, p. bjsports-2016-096325, 2016.

BARNES, D.; YAFFE, K.; SATARIANO, W.; TAGER, I. A longitudinal study of cardiorespiratory fitness and cognitive function in healthy older adults. Journal of the American Geriatrics Society, v. 51, n. 4, p. 459-465, 2003.

BHERER, L.; ERICKSON, K.; LIU-AMBROSE, T. Physical exercise and brain functions in older adults. J Aging Res, v. 2013, p. 197326, 2013.

BLUMENTHAL, J.; EMERY, C.; MADDEN, D.; SCHNIEBOLK, S.; WALSH-RIDDLE, M.; GEORGE, L.; MCKEE, D.; HIGGINBOTHAM, M.; COBB, F.; COLEMAN, E. Long-term effects of exercise on psychological functioning in older men and women. Journal of gerontology, v. 46, n. 6, p. P352-P361, 1991.

BRISSWALTER, J.; COLLARDEAU, M.; RENÉ, A. Effects of acute physical exercise characteristics on cognitive performance. Sports medicine, v. 32, n. 9, p. 555-566, 2002.

BUSSE, A.L.; JACOB FILHO, W.; MAGALDI, R.M.; COELHO, V.A; MELO, A.C; BETONI, R.A.; SANTARÉM, J.M. Efeitos dos exercícios resistidos no desempenho cognitivo de idosos com comprometimento da memória: resultados de um estudo controlado. Einstein, v. 6, n. 4, p. 402-7, 2008.

CAPOVILLA, A.G.S.; DIAS, N.M. Desenvolvimento de habilidades atencionais em estudantes da 1ª a 4ª série do ensino fundamental e relação com rendimento escolar. Revista Psicopedagoga, v. 25, n. 78, p. 198-211, 2008.

COLCOMBE, S.; KRAMER, A.. Fitness effects on the cognitive function of older adults a meta-analytic study. Psychological science, v. 14, n. 2, p. 125-130, 2003.

CESCHINI, F.L.; ANDRADE, D.; OLIVEIRA, L.; ARAÚJO JÚNIOR, J.; MATSUDO, V.K.R. Prevalência de inatividade física e fatores associados em estudantes do ensino médio de escolas públicas estaduais. Rev.J. Pediatr. v. 85, n. 4, Rio de Janeiro, 2009.

DE LIMA, C.T.A.; DE MEDEIROS, F.K.N.; DE LIMA, J.L.A. Gerontologia social e direitos humanos da pessoa idosa: o bem-estar da terceira idade se dá através da dignidade. Revista Âmbito Jurídico. Ano XV – Março, 2012.

DEL REY, P.. Effects of contextual interference on the memory of older females differing in levels of physical activity. Perceptual and motor skills, 1982.

EBERT, M.; POST, R. ; GOODWIN, F.. Effect of physical activity on urinary MHPG excretion in depressed patients. The Lancet, v. 300, n. 7780, p. 766, 1972.

ELSAYED, A.A.M.; ISMAIL, A.H.; YOUNG, R.J. Intellectual differences of adult men related to age and physical fitness before and after an exercise program. Journal of Gerontology, v. 35, n. 3, p. 383-387, 1980.

FERREIRA, C.A.M. Psicomotricidade Escolar. Wak Ed. Rio de Janeiro, 2008.

FONSECA, G.U.Silva; LIMA, R.F; IMS, R.E; COELHO, D.G.; CIASCA, S.M. Evidências de validade para instrumentos de atenção e funções executivas e relação com desempenho escolar. Temas em Psicologia, v. 23, n. 4, p. 843-858, 2015.

FREITAS, R.W.J.F.; DA SILVA, A.R.V.; DE ARAÚJO, M.F.M.; MARINHO, N.B. P.; DAMASCENO, M.M.C.; OLIVEIRA, M.R. Prática de atividade física por adolescentes de Fortaleza, CE. Rev. Bras. Enferm. v. 63, n. 3, p. 410-5, maio/jun. 2010.

GUEDES, D.P.; GUEDES, J.E.R.P. Controle do peso corporal: composição corporal, atividade física e nutrição. Rio de Janeiro: Shape, 2003.

HARASTY, J.; DOUBLE, K.; HALLIDAY, G.; KRIL, J.; MCRITCHIE, D. Language-associated cortical regions are proportionally larger in the female brain. Archives of Neurology, v. 54, n. 2, p. 171-176, 1997.

HILLMAN, C.J.; ERICKSON, K.; KRAMER, A.H.F.R. Be smart, exercise your heart: exercise effects on brain and cognition. Nat Ver Neurosci. 9:58-65, 2008.

LAURIN, D.; VERREAULT, R.; LINDSAY, J.; MACPHERSON, K.; ROCKWOOD, K.. Physical activity and risk of cognitive impairment and dementia in elderly persons. Archives of neurology, v. 58, n. 3, p. 498-504, 2001.

LENT, R. Cem bilhões de neurônios? Conceitos fundamentais de neurociência. Ed. Atheneu. São Paulo, 2010.

MCAULEY, E.; RUDOLPH, D. Physical Activity, Aging, and Psychological Well-Being. Journal of Aging & Physical Activity, v. 3, n. 1, 1995.

MEREGE FILHO, C.A.A.; ALVES, C.R.R.; DAS NEVES, W.; LANCHA JUNIOR, A.H.; GUALANO, B.; COSTA, A.S. Associação entre o nível de atividade física de lazer e o desempenho cognitivo em crianças saudáveis. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 27, n. 3, p. 355-361, 2013.

MORAES, A.C.F.; FERNANDES, C.A.M.; ELIAS, R.G.M.; NAKASHIMA, A.T.A.; REICHERT, F.F.; FALCÃO, M.C. Prevalência de inatividade física de adolescentes e fatores associados em. Rev. Assoc. Med. Bras. v. 55, n. 5, p. 523-8. 2009.

OEHLSCHLAEGER, M.H.K.; PINHEIRO, R.T.; HORTA, B.; GELATTI, C.; SAN'TANA, P. Sedentarismo: prevalência e fatores associados em adolescentes de área urbana. Rev. Saúde Pública. v. 38, n. 2, p. 157-63, 2004.

OLIVEIRA, F.A.; DA COSTA NETO, S.G.; SILVA NETO, V.R.; ROCHA, S.V. Fatores associados à inatividade física entre adolescentes de uma escola pública do município de Jequiá – BA. Rev. Ulbra e Movimento, v. 2, n.1, p. 30-44, 2011.

REICHERT, F.F.; BARROS, A.J.D.; DOMINGUES, M.R.; HALLAL, P.R.C. The role of perceived personal barriers to engagement in leisure-time physical activity. Am J Public Health, v. 97, n. 3, p. 515-9, mar. 2007.

RELVAS, M.P. Neurociência e educação: potencialidades dos gêneros humanos na sala de aula. Ed. Wak 2. Ed. Rio de Janeiro, 2010.

RELVAS, M.P. Fundamentos biológicos da educação: despertando inteligência e afetividade no processo de aprendizagem. Ed. Wak 3. Ed. Rio de Janeiro, 2008.

SANTOS, J. dos. Validação do teste de trilhas-B (trail making test-B) para uso em pacientes brasileiros com câncer em cuidados paliativos. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo. 2011.

SCHLAEPFER, T.; HARRIS, G.; TIEN, A.; PENG, L.; LEE, S.; PEARLSON, G. Structural differences in the cerebral cortex of healthy female and male subjects: a magnetic resonance imaging study. Psychiatry Research: Neuroimaging, v. 61, n. 3, p. 129-135, 1995.

SCHUIT, A.J.; FESKENS, E.; LAUNER, L.; KROMHOUT, D.. Physical activity and cognitive decline, the role of the apolipoprotein e4 allele. Medicine and Science in Sports and Exercise, v. 33, n. 5, p. 772-777, 2001.

SILVA, O.B. Questionários de Avaliação da Atividade Física e do Sedentarismo em Crianças e Adolescentes. Rev Derc, v. 15, n. 45, p. 14-18, 2009.

SILVA, R.S.; DA SILVA, I.; SILVA, R.A.; SOUZA, L.; TOMASI, E. Atividade física e qualidade de vida. Ciência e saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, Jan. 2010.

SIMÕES NETO, J.C.; JARDIM, P.P; OLIVEIRA, F.M.C. O brincar como ferramenta de aprendizagem no ensino fundamental. EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires, Ano 19, Nº 196, Setembro de 2014.

SOARES, R.M.; DINIZ, A.B; CATTUZZO, M.T. Associação entre atividade física, aptidão física e desempenho cognitivo em idosos. Motricidade, v. 9, n. 2, p. 85-94, 2013.

SPIRDUSO, W.W. Dimensões físicas do envelhecimento. Barueri: Manole, 2005.

STEFFENS, R.A.K; BRANDT, R.; FELIPE, J.S.; ANDRADE, A. Exercícios físicos diminuem a dor, a depressão e melhoram a qualidade de vida de pessoas com fibromialgia. ConScientia e Saúde, vol. 10, núm. 4, p. 749-755, 2011.

RADÁKA, Z.; KANEKOB, T.; TAHARAB, S.; NAKAMOTOC, H.; PUCSOKD, J.; SASVÁRIE, M.; NYAKASE, C.; GOTOC, S. Regular exercise improves cognitive function and decreases oxidative damage in rat brain. Neurochemistry international, v. 38, n. 1, p. 17-23, 2001.

TOMPOROWSKI, P. Effects of acute bouts of exercise on cognition. Acta psychologica, v. 112, n. 3, p. 297-324, 2003.

VAN BOXTEL, M.; LANGERAK, K.; HOUX, P.; JOLLES, J. Self-reported physical activity, subjective health, and cognitive performance in older adults. Experimental aging research, v. 22, n. 4, p. 363-379, 1996.

WILLIAMS, P.; LORD, S.. Effects of group exercise on cognitive functioning and mood in older women. Australian and New Zealand journal of public health, v. 21, n. 1, p. 45-52, 1997.

WOOD, R.. REYES-ALVAREZ, R.; MARAJ, B.; METOYER, K.; WELSCH, M. Physical fitness, cognitive function, and health-related quality of life in older adults. Journal of Aging and Physical Activity, v. 7, n. 3, p. 217-230, 1999.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v12i39.1023

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: