Psicologia e Arquitetura: Como a Einfühlung e a Gestalt atuam nos ambientes

Maurício Dallastra, Caroline Ogura, Bruna Gazzoni, Luiz Eduardo Brescovit, Bruna Lopes Costa

Resumo


O presente artigo tem como objetivo expor a importância do conhecimento sobre como as formas e a disposição dos elementos que estão ao redor podem interferir no cotidiano e na maneira como os indivíduos percebem o ambiente. Para tanto adotou-se as teorias de einfühlung e os princípios da Gestalt. O artigo foi elaborado tendo como metodologia pesquisa em referências bibliográficas e estudos relacionados tanto à arquitetura quando à psicologia e a relação intrínseca entre ambas. Diante do interesse dos autores, houve o aprofundamento em leituras para que as informações pudessem levantar questões pertinentes quanto à relação da arquitetura no cotidiano das pessoas e como a psicologia se faz presente em ambientes projetados. Como resultado, concluiu-se que as formas e os elementos arquitetônicos são instrumentos capazes de promover sensações e emoções, mesmo que de forma subconsciente, afirmando, desta forma, a intrínseca relação entre o ramo da arquitetura com a psicologia.

 

Palavras-chave: Psicologia ambiental. Einfühlung. Gestalt.


Palavras-chave


Psicologia ambiental. Einfühlung. Gestalt

Texto completo:

PDF

Referências


BENUTTI, Maria Antonia. A geometria das catedrais góticas e neogóticas. UNESP – FAAC, Departamento de Artes e Representação Gráfica. São Paulo, 2011. Disponível em: < http://www.graphica.org.br/CD/PDFs/EPIST/EPIST01.pdf >, acesso em 14/01/2018.

COLIN, Silvio. Uma introdução à arquitetura. Rio de Janeiro: Uapê, 2000.

FILHO, João Gomes. Gestalt do objeto: sistema de leitura visual da forma. São Paulo: Escrituras, 2004.

FISCHER, Ernst. A necessidade da arte. Tradução: Leandro Konder. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

GÜNTHER, Hartmut. Mobilidade e affordance como cerne dos Estudos Pessoa-Ambiente. Estud. psicol. (Natal). maio/ago. 2003, vol.8, no.2.

KOFFKA, Kurt. Princípios de Psicologia da Gestalt. São Paulo: Cultrix, 1975.

MARTAU, Betina T. A arquitetura multisensorial de Juhani Pallasmaa. Arquitetura Revista. Rio Grande do Sul, v. 3 p. 56-58, jul./dez. 2007.

MICHAELIS. Dicionário online. Disponível em: < http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/index.php?lingua=portugues-portugues&palavra=empatia >, acesso em 09/06/2012.

PINHEIRO, José Q. Psicologia Ambiental: a busca de um ambiente melhor. Estud. psicol. (Natal). jul/dez. 1997, vol.2, no.2.

RIVLIN, Leanne G. Olhando o passado e o futuro: revendo pressupostos sobre as interrelações pessoa-ambiente. Estud. psicol. (Natal). maio/ago. 2003, vol.8, no.2.

STRICKLAND, Carol. Arquitetura Comentada: uma breve viagem pela história da arquitetura. Rio de Janeiro: Ediouro, 2003.

ZEVI, Bruno. Saber ver a arquitetura. São Paulo: Martins Fontes, 2002.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v12i39.1020

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: