Interfaces entre Arquitetos e Profissionais da Educação em prol de Melhores Espaços para o Desenvolvimento do Protagonismo Estudantil

Maurício Dallastra, Morgana Alves de Jesus Fernandes, Bruna Lopes Costa, Luiz Eduardo Brescovit, Juliana Stascovian

Resumo


No decorrer dos anos é perceptível a dissociação entre o trabalho de um arquiteto ao planejar uma escola e o espaço que o professor deseja para que o alunado alcance máximo aproveitamento do espaço escolar, dentre eles, o pátio, que é um ambiente comum de socialização a todos. Para acompanhar a evolução do espaço escolar durante o tempo é feita uma retrospectiva do macro (Brasil) até a realidade em microescala (local). O apoio de profissionais da arquitetura em consonância aos anseios dos que atuam na educação, quiçá dos próprios pais e estudantes, pode transformar o espaço escolar em um local de desenvolvimento pleno para os alunos.

 


Palavras-chave


Pátio Escolar, Educação, Paisagismo

Texto completo:

PDF

Referências


ARRUDA, Ângelo Marcos Vieira. Arquitetura Escolar em Mato Grosso (1890-1930). In: Revista Linhas, Florianópolis, v. 12, n. 01, p. 73 – 94, jan. / jun. 2011. Disponível em: . Acesso em: 03 de dez. de 2017.

AZEVEDO, G. A. N. Arquitetura Escolar e Educação: um modelo conceitual de abordagem interacionista. UFRJ: Rio de Janeiro, 2002. Proposta de Dissertação de Doutorado – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Engenharia de Produção COPPE / Universidade Federal do Rio de Janeiro. Orientador: D.Sc. Leopoldo Eurico Gonçalves Bastos.

AZEVEDO, G. A. N. BASTOS, L.E.G. BLOWER, H.S. Escolas de ontem, educação hoje: é possível atualizar usos em projetos padronizados? In: Anais do III Seminário Projetar: o moderno já passado, o passado no moderno. 1. ed. Porto Alegre: PROPAR-UFRGS, 2007.

AZEVEDO, G. A. N. RHEINGANTZ, P.A. TÂNGARI, V.R. O lugar do pátio escolar no sistema de espaços livres: uso, forma e apropriação. 1ª ed. Rio de Janeiro: Minister, 2011.

AZEVEDO, G. A. N. et. al. Qualidade do lugar e da paisagem no pátio escolar: fundamentos e conceitos. In: AZEVEDO, G. A. N. RHEINGANTZ, P.A. TÂNGARI, V.R. O lugar do pátio escolar no sistema de espaços livres: uso, forma e apropriação. 1ª ed. Rio de Janeiro: Minister, 2011. p. 57-76.

BEDIN, J. Arquitetura escolar como promotora da educação ambiental. Trabalho de Conclusão de Curso em Arquitetura e Urbanismo, Faculdade Assis Gurgarcz, Cascavel, 2008.

BIZARRO, F. Em meio a infâncias e arquiteturas escolares: um estudo sobre os pátios da educação infantil. UFRGS: Porto Alegre, 2010. Proposta de Dissertação de Mestrado – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Orientadora: Dra. Leni Vieira Dornelles.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei nº 8 069/90. Brasília: Planalto Federal, 1990.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9 394/96. Brasília: Planalto Federal, 1996.

CEBRACE. Critérios para Elaboração, Aprovação e Avaliação de Projetos de Construções Escolares. Brasília: MEC, 1976.

CERQUEIRA, Eufrosina de, A. Análise da Intervenção Ambiental de Baixo Custo em Escola da Rede Pública de Feira de Santana. UFRGS: Porto Alegre, 2001. Proposta de Dissertação de Mestrado – Programa de Pós-Graduação em Engenharia, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Orientador: Ph.D Miguel Aloysio Sattler.

CERRADOS PARK HOTEL. Palácio da Instrução. Disponível em: . Acesso em: 01 de dez. de 2017.

CORBELLA, O; YANNAS, S. Em busca de uma arquitetura sustentável para os trópicos. Rio de Janeiro: Ed. Revan, 2003.

COSSATO, M. B. TREVIZAN M. B. Grupos Escolares no Estado de Mato Grosso 1910- 1930. In: X Jornada do HISTERDBR: História da Educação: Intelectuais, Memórias e Política. Vitória da Conquista: UFSB-MP, 2011.

ESCOLANO, Agustín. Arquitetura como programa: espaço-escola e currículo. In: VIÑAO FRAGO, Antonio; ESCOLANO, Agustín. Currículo, espaço e subjetividade: a arquitetura como programa. Tradução: Alfredo Veiga-Neto. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A.

FARIA, Ana Beatriz Goulart de. O pátio escolar como ter[ritó]rio [de paisagem] entre a escola e a cidade. In: AZEVEDO, G. A. N. RHEINGANTZ, P.A. TÂNGARI, V.R. O lugar do pátio escolar no sistema de espaços livres: uso, forma e apropriação. 1ª ed. Rio de Janeiro: Minister, 2011. p. 35-44.

FEDRIZZI, B. Paisagismo no pátio escolar. 1ª ed. Porto Alegre: Editora da Universidade UFRGS, 1999.

FEDRIZZI, B, TOMASINI, S.L.V., CARDOSO, L.M. A vegetação no pátio escolar: um estudo para a realidade de Porto Alegres – RS. Trabalho apresentado no VII Congresso Nacional de Arborização Urbana, Belém, Pará, 2003.

FREITAS, C. G. L. [et al.]. Habitação e meio ambiente - Abordagem integrada em empreendimentos de interesse social. São Paulo: Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo – IPT, 2001.

FREITAS, Francine; et al. O espaço da escola da educação infantil como favorecedor do protagonismo infantil. Disponível em: . Acesso em: 02 de dez. 2017.

FRAGO, Antonio V.; ESCOLANO, Agustín. Currículo, espaço e subjetividade: a arquitetura como programa. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2001.

GARDENS AND PEOPLE. A Garden for GCSE Art. Disponível em: . Acesso em: 01 de dez. de 2017.

GONÇALVES, Fábio Mariz; FLORES, Laís Regina. Espaços livres em escolas – questões para debate. In: AZEVEDO, G. A. N. RHEINGANTZ, P.A. TÂNGARI, V.R. O lugar do pátio escolar no sistema de espaços livres: uso, forma e apropriação. 1ª ed. Rio de Janeiro: Minister, 2011. p. 23-33.

IBAMENDES PESQUISA. Fotos de escolas antigas de São Paulo. Disponível em:< http://www.ibamendes.com/2011/06/blog-post_6251.html>. Acesso em: 01 de dez. de 2017.

KOWALTOWSKI, Doris C.C.K. Arquitetura escolar: o projeto do ambiente de ensino. 1ª ed. São Paulo: Oficina de Textos, 2011.

KOWALTOWSKI, Doris C.C.K; DELIBERADOR, Marcella Savioli. Os pátios e as áreas livres no processo de projeto de arquitetura escolar no estado de São Paulo. In: AZEVEDO, G. A. N. RHEINGANTZ, P.A. TÂNGARI, V.R. O lugar do pátio escolar no sistema de espaços livres: uso, forma e apropriação. 1ª ed. Rio de Janeiro: Minister, 2011. p. 159-182.

NAMBU, Liliane Cristine; ORNSTEIN, Sheila, Walbe. O pátio nos ambientes para o aprendizado avaliação de edifícios escolares na região metropolitana de São Paulo. In: AZEVEDO, G. A. N. RHEINGANTZ, P.A. TÂNGARI, V.R. O lugar do pátio escolar no sistema de espaços livres: uso, forma e apropriação. 1ª ed. Rio de Janeiro: Minister, 2011. p. 91-106

REIS-ALVES, Luiz Augusto dos. O pátio interno escolar como lugar simbólico. Um estudo sobre a inter-relação de variáveis subjetivas e objetivas do conforto ambiental. Tese de doutorado. Rio de Janeiro, FAU-UFRJ, 2006.

RHEINGANTZ, Paulo, A, AZEVEDO, Giselle, A, BRASILEIRO, Alice, et al. Observando a qualidade do Lugar: procedimentos para avaliação pós-ocupação. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Pós-Graduação em Arquitetura, 2009.

RUIVO, Katia Regina. Percepção de Espaços Abertos de Duas Escolas Públicas Após Aplicação de Método de Design Participativo. UFRGS: Porto Alegre, 2008. Proposta de Dissertação de Mestrado – Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

SANCHES, João Carlos Machado. O Estudo de Microclima como Ferramenta para o Planejamento Urbano. Cuiabá: UFMT/ICHS; CNPQ, 2005. Dissertação (Mestrado em Geografia).

SODRÉ, L. G. P. As indicações das crianças sobre uma edificação adaptada para a educação infantil. Estud. pesqui. psicol. [online]. 2005, vol.5, n.1, pp. 73-91. ISSN 1808-4281.

SOUZA, Hellen Marques Barbosa de. O pátio escolar do ensino fundamental como ambiente de brincar segundo as crianças usuárias. UFRGN: Natal, 2005. Proposta de Dissertação de Mestrado – Programa de Pós Graduação em Psicologia, Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

TANGARÁ DA SERRA-MT, Prefeitura Municipal de. A cidade, 2007. Disponível em:. Acesso em: 28 nov. 2017.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v12i39.1014

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: